Saúde Fila Zero chega a 70 mil atendimentos

Mutirão realizado neste sábado em Santo André no CHM e nos Centros de Especialidades tirou pessoas da fila de espera por consultas com neurologista, dermatologista, cirurgião vascular e oftalmologista

Por Secom PSA 18/09/2017 - 12:15 hs
Foto: Ricardo Trida/PSA

A Prefeitura de Santo André realizou, neste sábado (16), o quarto mutirão do programa Saúde Fila Zero. As consultas aconteceram no Centro Hospitalar Municipal (CHM) para os pacientes de ortopedia, e também de urologia. Também houve mutirão no Centro de Especialidades I, na avenida Ramiro Colleone, onde foram realizadas as consultas na área de cirurgia vascular, e no Centro de Especialidade II, na Praça Waldemar Soares (Parque das Nações), nas áreas de dermatologia, gastroenterologia, alergologista e neurologia. 

O prefeito Paulo Serra esteve nos três locais para conferir o andamento do programa. “Quando a gente assumiu o governo eram 128 mil pessoas em fila de espera por exames e consultas. Hoje, com mais um mutirão descentralizado, com médicos em três locais diferentes e em diversas especialidades, a gente está conseguindo atingir o número de 70 mil atendimentos. Isso significa que reduzimos a fila em mais de 50% e estamos seguindo aquele objetivo que nós estabelecemos, de acabar com a fila no primeiro ano de governo”. 

O mutirão teve início às 7h no CHM e às 8h nos Centros de Especilidades I e II. O atendimento respeitou a ordem cronológica da demanda reprimida. “E para não haver novas filas, onze unidades serão entregues reformadas no ano que vem”, acrescentou o prefeito. Por meio do programa, em menos de um ano, a atual administração conseguiu diminuir o tempo médio de espera por consultas, de dois anos e meio para menos de um ano, na especialidade de dermatologia; de três anos para um ano e meio, na especialidade de neurologia e de dois anos para dois meses, na especialidade de cirurgia vascular. Para consultas de oftalmologia, já passaram a ser chamadas fichas com entrada em junho de 2017.

O Saúde Fila Zero possui mais duas frentes de trabalho, além dos mutirões: a compensação tributária por meio da prestação de serviços e a retomada do Hospital Dia, no Centro Hospitalar Dr. Newton da Costa Brandão, onde já foram realizadas mais 370 cirurgias de baixa complexidade, desde abril, quando foi reinaugurado. “As pessoas que passam pelo médico hoje já podem passar em um hospital particular durante a semana para fazer o exame graças a essa iniciativa inédita de compensação tributária. Quer dizer que é todo um ciclo funcionando para melhorar a qualidade do serviço prestado. As pessoas estão sendo tratadas com dignidade, o que é o novo padrão que a gente está implementando na cidade” acrescentou.

Elisângela Oliveira, de 38 anos, que está com muita dor no pé, ficou muito satisfeita por ter sido agendada para consulta com ortopedista. “Esse mutirão veio em boa hora. Estou com essa dor há quatro meses e se não fosse o mutirão iria esperar muito mais. Inclusive, já passei em um dermatologista no último mutirão de agosto e foi ótimo”, contou. 

O atendimento está ótimo. Muito organizado. Minha irmã sofrendo com uma dor no joelho há um ano. Mas a gente vai no Pronto Socorro, eles passam uma "pomadinha", um "remedinho", mas não resolve. Agora passando pela consulta com o médico e fazendo os exames deve resolver. Também achei ótimo que o pessoal do posto ligou em casa oara agendar a consulta de hoje. Achei isso ótimo”, contou. Isaura Guilherme, de 70 anos que acompanhava a irmã Maria Amaral, de 71 anos, no Centro Hospitalar Municipal, à consulta com o ortopedista.